terça-feira, 30 de setembro de 2008

Maria Keil

Esta senhora bonita é a nossa amiga Maria Keil, artista plástica.
Em 1941, via-se a si própria desta maneira.
Maria Keil (gosta que a tratem apenas por Maria) nasceu na cidade de Silves, em 1914. Partilhou a maior parte da sua vida com o arquitecto Francisco Keil do Amaral, com quem se casou, muito jovem, em 1933.

De lá para cá fez milhares de coisas, sobretudo ilustrações, que se podem encontrar em revistas como a “Seara Nova”, livros para adultos e “toneladas” de livros infantis, os de Matilde Rosa Araújo, por exemplo, são em grande quantidade. Está quase a chegar aos 100 anos de idade de uma vida cheia, que nos primeiros tempos teve alguns “sobressaltos”, umas proibições de quadros aqui, uma prisão pela PIDE, ali... as coisas normais para um certo “tipo de pessoas” no tempo do fascismo.

Para esta “história”, no entanto, o que me interessa são os seus azulejos. São aos milhares, em painéis monumentais, espalhados por variadíssimos locais. Uma das maiores contribuições de Maria Keil para a azulejaria lisboeta, foi exactamente para o Metropolitano de Lisboa. Para fugir ao figurativo, que não era o desejado pelos arquitectos do Metro, a Maria Keil partiu para o apuramento das formas geométricas que conseguiram, pelo uso da cor e génio da artista, quebrar a monotonia cinzenta das galerias de cimento armado das primeiras 19, sim, dezanove estações de Metropolitano. Como o marido estava ligado aos trabalhos de arquitectura das estações e conhecendo a fatal “falta de verba” que se fazia sentir, o Metro lá teve de pagar os azulejos, em grande parte fabricados na famosa fábrica de cerâmica “Viúva Lamego”, mas o trabalho insano da criação e pintura dos painéis... ficou de borla. Exactamente! Maria Keil decidiu oferecer o seu enorme trabalho à cidade de Lisboa e ao seu “jovem” Metropolitano.
Estes pormenores das estações do “Intendente” (1966) e “Restauradores” (1959), são bons exemplos.

Parêntesis: Qualquer alteração na “Gare do Oriente” do Arq. Calatrava, ou nas Torres das Amoreiras, do Arq. Tomás Taveira, só a título de exemplo, têm de ser encomendadas ao arquitecto que as fez e mesmo assim, ele pode recusar-se a alterar a sua obra original. Se os donos da obra avançarem para a alteração sem o acordo do autor, podem ter por garantido um belo processo em tribunal, que acabará numa “salgada” indemnização ao autor.

Finalmente, a história! Recentemente a Metro de Lisboa decidiu remodelar, modernizar, ampliar, etc, várias das estações mais antigas e não foram de modas. Avançaram para as paredes e sem dizer água vai, picaram-nas sem se dar ao trabalho de (antes) retirar os painéis de azulejos, ou ao incómodo de dar uma palavra que fosse à autora dos ditos. Mais tarde, depois da obra irremediavelmente destruída, alguém se encarregaria de apresentar umas desculpas esfarrapadas e “compreender” a tristeza da artista.

A parte “realmente boa” desta (já longa) história é que ao contrário de quase todos os arquitectos, engenheiros, escultores, pintores e quem quer que seja que veja uma sua obra pública alterada ou destruída sem o seu consentimento, Maria Keil não tem direito a qualquer indemnização.

Perguntam vocês “porquê, Samuel?” e eu tão aparvalhado como vós, “Porque na Metro de Lisboa há juristas muito bons, que descobriram não ser obrigatório pedir nada, nem indemnizar a autora, de forma nenhuma... exactamente porque ela não cobrou um tostão que fosse pela sua obra!!!

Este país, por vezes consegue ser “ainda mais extraordinário” do que é o seu costume! Ou não?

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

FESTIVAL MÚSICA VIVA | DIA 25 NO CCB| EXPRESSÕES DE VANGUARDA

FESTIVAL MÚSICA VIVA | CCB DIA 25

CONVERGÊNCIA DE EXPRESSÕES E ESTÉTICAS MUSICAIS MÚLTIPLAS

Expressões de vanguarda da música electro-acústica são o que a ORQUESTRA DE ALTIFALANTES II nos traz, com particular destaque para os compositores canadianos e para os premiados do 9º Concurso de Composição Electroacústica Música Viva 2008. Antes NUNO PINTO e o DUO CON:FUSION partilham o palco para apresentar, cada um a seu tempo, clarinete e electrónica e teatro musical com vídeo.


ORQUESTRA DE ALTIFALANTES II | 21H | PEQUENO AUDITÓRIO – SALA EDUARDO PRADO COELHO

10€ | 6€ menores 30 anos

O Concurso de Composição Música Viva tendo-se afirmado como um concurso de renome internacional na área da música electroacústica, ano após ano com um número crescente de participantes que ascende actualmente a mais de centena e meia. O júri, este ano constituído por Robert Normandeau, Folkmar Hein e Miguel Azguime, seleccionará as três obras que serão estreadas na primeira parte deste concerto.

Para a segunda parte deste concerto, o festival deu carta branca ao compositor canadiano Robert Normandeau que nos propõe uma selecção de algumas das suas obras de eleição lado a lado com a sua própria música, destacando-se a estreia de uma nova obra concebida especialmente para a Orquestra de Altifalantes da Miso Music Portugal.

CLARINETE E ELECTRÓNICA — NUNO PINTO + DUO CON:FUSION 19H | SALA DE ENSAIO

10€ | 6€ menores 30 anos

Concerto partilhado por Nuno Pinto, jovem talento e virtuoso clarinetista português e o Duo Con:Fusion constituído por Marcia Lemke-Kern e Sascha Lino Lemke, especialistas de teatro musical e detentores do primeiro prémio da European Conference of Promoters of New Music “Live-Electronic Projects Competition 2007”. Duas propostas distintas que têm como ponto de contacto a componente electroacústica das obras apresentadas.

E AINDA NO CCB:

DE 20 A 27 | CAMINHO PEDONAL: SOUND WALK + INTERACTIVE LOUNGE*

DIAS 20 E 27 | HALL DE ENTRADA: Π-ANO[4X]*

DE 23 A 27 | SALA DE ENSAIO: CONTOS CONTADOS... CANTADOS COM SOM

DIA 26 | SALA DE ENSAIO: QUINTETO DIAPHONIA

DIA 25 | PEQUENO AUDITÓRIO – SALA EDUARDO PRADO COELHO: CRASH ENSEMBLE

DIA 27 | PEQUENO AUDITÓRIO – SALA EDUARDO PRADO COELHO: SMITH QUARTET

* Espectáculos de Entrada Livre

Concertos ZDB | Lobster e Ideas For Muscles


Lobster
Intitulam-se power-rangers do noise rock, mas ao contrário dos super-heróis, Guilherme Canhão e Ricardo Martins não possuem super-poderes; isto pelo menos se considerarmos que a química que os une não é em si um super-poder. Cansaram-se de combater o crime e nos últimos tempos incendiaram palcos sempre que para isso tiveram oportunidade; não só em Portugal, mas também em Espanha e em França. Fizeram mossa desde os primeiros tempos, transformaram-se rapidamente numa das melhores bandas portuguesas ao vivo e agora havia que dar um passo decisivo e corajoso em frente.
"Sexually Transmitted Electricity" é o primeiro bilhete de identidade da dupla depois de algumas licenças prévias que ficaram para a história. (...) é um documento que apanha os Lobster no seu melhor momento. Não chegou tarde nem cedo; chegou mesmo a horas. Tamanha urgência merecia um disco assim – uma estreia mais do que notável.

Texto da editora

+ Info: site|myspace|vídeo|vídeo

Ideas For Muscles
Ideas For Muscles, duo de Lisboa, dividido entre guitarras cortantes, ritmos programados funcionais - tudo sem nenhuma gordura, só pele e osso, próximo do pós-punk de bandas como Wire ou de nomes associados à casa The Smell, com No Age à cabeça. Acabam de editar "Misue of Muscles Appliance" pela sempre atenta Merzbau.

+ Info: myspace|editora
Entrada : 6 €


terça-feira, 23 de setembro de 2008

Fotografias a votos | JPG Magazine

What is a God? | votar



Tongue | Votar




Moonwalker | Votar

O Espaço do Tempo - Projecto Ruínas estreia SHADOW PLAY


25, 26, 27 e 28 Setembro - 21h30
Cine-Teatro Curvo Semedo
Montemor-o-Novo

Uma co-produção: Projecto Ruínas | O Espaço do Tempo | AL-MaSRAH Teatro | Câmara Municipal de Montemor-o-Novo

Um álbum de fotografias coberto de pó.
Quatro sombras procurando as suas personagens.
Um jogo sem sentido, repetido infinitamente.
Comédia negra, dark, decadente, habitada por mortos e almas.

Encenação: Francisco Campos | Texto e Interpretação: Maila Dimas, Susana Nunes, Carlos Marques e Francisco Campos | Espaço Cénico: Sara M. Graça | Figurinos: Andreia Rocha |
Desenho de Luz: Nuno Patinho | Operação Técnica: Tiago Néo | Design Gráfico: Miguel Rocha


Informações e Reservas:
266 899 856 | 913 699 895 | 967 778 972

Howard S. Becker e Robert Faulkner com Carlos Barretto: teoria e prática do jazz em concerto (dia 24 de Setembro em Coimbra)

O Salão Brazil, na Baixa de Coimbra, acolhe, na próxima quarta-feira, dia 24 de Setembro, a partir das 16h30, um concerto de jazz onde o contrabaixista Carlos Barretto se juntará aos reputados sociólogos (e músicos) Howard S. Becker (piano) e Robert Faulkner (trompete). O concerto fará parte de uma sessão em torno do jazz e das lógicas de organização colectiva do trabalho artístico, uma temática que tem vindo a ser desenvolvida nos últimos anos por estes dois importantes sociólogos norte-americanos.

Howard S. Becker e Robert Faulkner, autores de “Do you Know? Jazz Repertoire in Action” (Chicago University Press: 2008), livro que será apresentado publicamente pela primeira vez durante esta sessão, tentarão fornecer-nos pistas para a resolução de um simples problema, que identificam da seguinte forma: “Em milhares de lugares, todas as noites, na Europa, nos Estados Unidos e em muitos outros sítios no mundo, algo semelhante a isto acontece. Vários músicos que poderão não se conhecer, encontram-se para tocar. Tocam várias horas, sem qualquer tipo de ensaio, apenas com música escrita de forma rudimentar (se a tiverem, e frequentemente não têm), e a sua performance é satisfatória, para o contentamento dos seus empregadores e audiências. A nossa questão é: como é que eles conseguem fazer isto? Que conhecimento e competências precisam para conseguir actuar com sucesso este feito de actividade coordenada?”.

Não conhecendo previamente o contrabaixista português, Becker e Faulkner “encenarão” com Carlos Barretto este tipo de encontro entre músicos de jazz, onde a performance acontece mesmo sem pautas. Após o concerto, debater-se-ão algumas das questões que emergirem durante a sessão. O debate contará com a presença de Rui Eduardo Paes, o editor da revista jazz.pt, única publicação em Portugal exclusivamente dedicada ao jazz e às músicas improvisadas.

A presente iniciativa, que se integra nas celebrações dos 30 anos do Centro de Estudos Sociais e dos 20 anos da licenciatura em Sociologia da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, conta com a colaboração do JACC - Jazz ao Centro Clube.

Programa completo

24 de Setembro, 16.30 horas

Largo do Poço – Baixa de Coimbra

Salão Brazil

Conferência "Os repertórios do jazz americano"

Concerto com H. S. Becker (piano), R. Faulkner (trompete) e Carlos Barretto (contrabaixo) seguido de debate, com participação de Rui Eduardo Paes (jazz.pt - revista bimestral de Jazz)

25 de Setembro, 17.00 horas

Sala Keynes, Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra

Seminário "O Trabalho de Campo e a Observação Participante"

Mais informações em

http://www.ces.uc.pt/doutoramentos/criatividadecooperacaoarte.php

Organização

Centro de Estudos Sociais

Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra

Colaboração

JACC – Jazz ao Centro Clube

www.jacc.pt

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Lisa Ekdahl em Portugal!

Inauguração e lançamento Revista C PHOTO

Tó Trips e Mariana Ricardo | ZDB


Tó Trips
Tó Trips apresenta-se a solo e em guitarra clássica, para tocar temas da sua autoria, englobados numa série de peças para este instrumento intitulada "GUITARRA 66", que mais tarde irão ser editados em disco.
Peças de guitarra clássica influenciadas em viagens e paisagens memóricas desde o afro desert ao tropical pacific style, tudo baseado num processo chamado "memory strings".

Texto da autoria do músico + Info: myspace



Mariana Ricardo
Mariana Ricardo nasceu em Lisboa em 1980. Enamorou-se por Lou Reed e fez parte de uma data de bandas, com destaque para os Pinhead Society. No Cinema trabalhou com Manuel Mozos, compondo as bandas sonoras de "Xavier" e "Quatro Copas".Trabalhou ainda com Miguel Gomes, assinando as música de "A Cara que Mereces" e a direcção musical do filme "Aquele Querido Mês de Agosto", estreado há dias.
+ Info: myspace|entrevista


Entrada : 6 €

If Lucy Fell e Suchi Rukara | ZDB

Sexta 19 de Setembro às 23h

If Lucy Fell Única data nacional da digressão If Lucy Fell / Suchi Rukara, presentemente a calcinar palcos pela Europa fora. O colectivo formado por Hélio Morais (também a corromper baquetes nos Linda Martini), Makoto Yagyu, Pedro Cobrado, Rui Carvalho e João "Shela" Pereira regressa ao nosso aquário para nova sessão pós-hardcore, de criação e destruição em tempo real.
+ Info: myspace|vídeo|vídeo

Suchi Rukara (PT)
Estreia da ZDB dos Suchi Rukara, power-muito-power-trio do novo hardcore a operar a partir da Grande Lisboa, com Ricardo Martins (também dos Lobster) a marcar o ritmo atrás da bateria. Têm a pressa que os Hüsker Dü tiveram nos primeiros tempos e a vontade de deitar abaixo todas as fronteiras - com dinamite.
+ Info: myspace

Entrada : 6 €

CCB > MENINOS E FAMÍLIAS! O MERCADINHO VOLTOU AO CPA > 21 SET > Entrada Livre

Quem quer, quem quer… trocar recordações de Verão por aventuras de Outono?

No Outono, antes que as folhas comecem a cair das árvores e dos cadernos, e que os pássaros abandonem os céus na procura de sítios quentes, há um encontro marcado no sítio do costume, o Jardim das Oliveiras, para trocar e comprar coisas de todas as estações: recordações, livros e músicas de Verão, bijutarias e brinquedos de Primavera, histórias e jogos de Inverno, boas receitas de Outono...

O CPA dá as boas-vindas ao Outono com o regresso dos Mercadinhos mais divertidos deste canto do mundo. Precisa-se apenas daquelas coisas velhas que podem muito bem ser o tesouro precioso de um novo amigo. Mais um convite para miúdos e famílias trocarem, venderem e negociarem riquezas inestimáveis, como sempre, tudo até 1€!

Mediante inscrição prévia no CPA através do telefone 213 612 899

Paisagem e Povoamento - Parte II


XI edição Verão Arte Contemporânea em Sines
Paisagem e Povoamento - Parte II
Até 28 de Setembro no Centro Cultural Emmerico Nunes
Novo horário| 2ª a Sábado das 15.00h às 19.00h
Próxima visita guiada por João Paulo Serafim | Sábado 20 Setembro 17.00h

Colectivo DOZE

Bárbara Assis Pacheco - Manuel Duarte – Rodrigo Tavarela Peixoto –Soraya Vasconcelos –Pauliana Valente Pimentel – Tatiana Macedo - Carlos Afonso Lobo - João Paulo Serafim - Daniel Malhão - Duarte Amaral Netto - Sónia Galiza Ferreira - José Pedro Cortes

“Tens medo do jardim?
O quê? Outro dilema? Escolher entre a câmara escura e o osso de baleia, a casa e o ar livre? Não estou interessado.”
Carlos de Oliveira in “ Finisterra: Paisagem e Povoamento”

Na continuidade do programa ‘Verão Arte Contemporânea, o Centro Emmerico Nunes e o colectivo Doze levaram a cabo o projecto “Paisagem e Povoamento”.

Ao longo de três meses de residência pendular em Sines, 12 artistas usaram o conceito de paisagem nas suas diversas acepções. Desta residência resultam duas exposições (11 de Julho a 17 de Agosto e 22 de Agosto a 30 de Setembro) que irão decorrer nas instalações do Centro Cultural Emmerico Nunes e em outros espaços da cidade de Sines.
Fruto de percursos mais ou menos físicos em redor de Sines e do conceito de Paisagem, desenvolveram-se trabalhos que percorrem os tempos e espaços que caracterizam um lugar, este lugar, nas mais variadas formas.
Tendo “Paisagem e Povoamento” como o céu que não só nos protege mas baliza as nossas acções e orienta os nossos passos, foi a partir de duas palavras (como se uma pudesse não chegar) que se desenvolveu o programa deste projecto.

Mais informação, imagens e espaço para comentários em http://ccemmericonunes.blogspot.com

www.ccen.pt


Katabatic | Concertos

"A paisagem sonora do quarteto português Katabatic, mostra o Pós-rock e alguma música ambiental. Longos instrumentais onde a voz funciona como um instrumento de ventos melódicos. Os crescendos embatem em rochosas distorções, para de seguida tudo voltar a ser pacífico na imensidão oceânica. Alguns efeitos e pormenores demonstram que este colectivo tem ideias para dar um passo em frente. O céu é o limite. Para os katabatic este é apenas o primeiro salto para um grande voo."
(em http://amplificasom.blogspot.com)


21'Set 21:30 - Auditório do Museu D. Diogo de Sousa c/ Antimatter - Braga (CANCELADO POR IMPOSIÇÃO DO MUSEU).

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Planície Mediterrânica


Planície Mediterrânica

12 - 14 Setembro

Em Setembro a Pédexumbo alia-se à CM de Castro Verde para promover o Festival Planície Mediterrânica 2008, no âmbito da rede cultural do Festival Sete Sóis Sete Luas. Durante três dias, Castro Verde volta a celebrar o Mediterrâneo numa viagem que apela aos sentidos e nos guia pela sua diversidade cultural.


Concertos, passeios, bailes, oficinas de música e dança, peça de teatro para bebés, entre outras actividades!


DESTACAMOS:


Oficina de danças portuguesas

NMB - Lab e convidados

Novo Baile Português com algumas danças do Alentejo

sexta-feira, 19h


Baile com No Mazurca Band e Paulo Colaço (convidado)

Novo Baile Português

sexta-feira, 23h


O Novo Baile Português pretende devolver aos bailes populares as danças que antes se bailavam nos terreiros, festas, adiafas e romarias um pouco por todo o Portugal. Para a Planície Mediterrânica foram trabalhadas especificamente 6 modas bailadas no Alentejo, engrossando as fileiras das danças do Novo Baile Português. O trabalho de campo (não de recolha mas de aprendizagem directa com quem mais sabe) foi feita no Alentejo Litoral (Melides, Santiago do Cacém) e no campo Branco (Aljustrel, Castro Verde). O trabalho directo com o músico Paulo Colaço (Beja) foi essencial para garantir a qualidade das modas trabalhadas. Para rematar, de Melides virá o Sr. Eusébio e o Sr. Manuel para animar uma valsinha mandada, que essa vai demorar uns anitos a integrar o baile sem ajudas de quem mais sabe. Das danças específicas que se bailavam no Alentejo, teremos Saias (composição de NMB), um fado bailado, uma moda de dois passos (composição de NMB), uma valsa mandada, a meia passada e uma moda de roda.

PROGRAMA

Sexta-feira, 12 de Setembro

18h00 - Abertura das Exposições

Instalação de Juan Mar, Antiga Fébrica Prazeres & Irmão; Pintura de Giuliano Ghelli, Fórum Municipal; Instalação "O Exército de Terracota" de Giuliano Ghelli, Praça da República; Escultura em Pedra - Centro Internacional de Escultura, Rua D. Afonso I; Exposição "Museu da Ruralidade", Galeria Municipal

18h00 - Oficina de Dança do Ventre com bailarina dos Triatriba

19h00 - Oficina de Danças Portuguesas (Novo Baile + danças do Alentejo) com NMB lab

21h30 - Concerto com Os Ganhões de Castro Verde, MED'SET ORKESTRA

23h00 - Baile com No Mazurka Band e Paulo Colaço (Portugal)

00h30 - Concerto com Triatriba (Sicília)

00h30 - A Hora do Mata-bicho, Tiborna Mediterrânica (Petisco Sicíliano)


Sábado, 13 de Setembro

9h00 - As Aves da Estepe Mediterrânica, Percurso pedestre para observação da avifauna

10h00 - Workshop de Cozinha Vegetariana, confecção do almoço

14h00 - Os Répteis: Herpetólogo por um dia!

15h00 - Oficina de Flauta Tamborileiro com Diogo Leal

16h00 - Oficina de Danças Europeias com Matias

17h00 - Oficina de Danças e Percussão Italianas com Assurd (Nápoles)

18h30 - Tocar o Sol Posto, desfile e actuação com Xeremiers de Son Roca (Ilhas Baleares), Flauta Tamborileiro com Diogo Leal (Portugal) e Grupo Coral "As Vozes de Casével"

21h30 - Concertos com Violas Campaniças (Portugal); Samira Kadiri & Arabesque (Marrocos); Assurd (Itália),

23h45 - Concerto com Farra Fanfarra (Portugal)

Domingo, 14 de Setembro

11h00 - Teatro: "Tamborilando" (Peça para Bébés) (Agora Teatro: Portugal)

11h00 - Oficina de Danças Europeias com Matias

13h00 - Um Almoço no Altar do Céu (Almoço e Cante)

15h30 - Oficina "O Cante e o Vinho", La Comparsa (actuação), Oficina de Cante

17h00 - Baile com Dancing Strings (Portugal)

18h00 - O Cante na Tarde, actuação dos Grupos Corais: "Os Carapinhas de Castro Verde" e "Os Cardadores da Sete"

19h00 - Teatro de Rua, Maracaibo Teatro (Espanhã)

22h00 - Concertos com As Camponesas de Castro Verde (Portugal), La Comparsa (Espanhã); Sete-Sóis Orkestra

Toda a informação em www.pedexumbo.com




MIGUEL PALMA | 15 SETEMBRO | GOOGLE PLANE | MUSEU BERARDO

CB | 20 Set. > LEGENDARY TIGER MAN + MICRO AUDIO WAVES


20 Setembro, Sábado, 21H
Grande Auditório do CCB:

LEGENDARY TIGER MAN + MICRO AUDIO WAVES

No mesmo palco, no mesmo dia, apresentam-se dois dos mais promissores projectos da música nacional:
Legendary Tiger Man e os Micro Audio Waves.

PROGRAMA:

I PARTE:

LEGENDARY TIGER MAN
Paulo Furtado – guitarra, voz, bateria e outros instrumentos


II PARTE:

MICRO AUDIO WAVES
Cláudia Efe – voz
C.Morg – programações, instrumentos
Flak – programações, guitarra
Francisco Rebelo – baixo
Fred – bateria


Agenciamento: Lado B


The Legendary Tiger Man é Paulo Furtado, o “one-man-show” de blues-rock alternativo inspirado nos performers solitários de blues do Mississipi. A solo ou à frente dos WrayGunn, Furtado é um dos músicos portugueses com maior projecção internacional. A propósito dos seus espectáculos, refere: “Se sinto que o público não se entrega, prefiro que haja algum confronto do que não aconteça nada.”

Os Micro Audio Waves são a grande certeza da nova pop electrónica nacional. Tendo conquistado recentemente novo prémio nos prestigiados Quartz Awards, em Paris, continuam a desenvolver uma mistura explosiva e sensual de pop alternativa, electrónica dançável, cabaret futurista e art rock. Neste concerto, poderemos perceber melhor por que o jornalista e locutor de rádio inglês John Peel, lhes dedicou uma das suas famosas “Peel sessions”.





quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Exposição Umbigo - A Família... 17 de Setembro


Exposição
Umbigo – A Família....


Inauguração 17 de Setembro a partir das 18h
Kgaleria (Bairro Alto)

Banda sonora de 8551120 Assemblage Project

Horários: Quarta a Sábado das 15h às 18h
Até 11 de Outubro
Kgaleria: Rua da Vinha, 43A, Lisboa (Bairro Alto)

Tel: 21 343 16 76

http://www.kameraphoto.com
http://www.umbigomagazine.com

Travessa de São Pedro nº 9 1º dto, Lisboa

+351213461019

terça-feira, 9 de setembro de 2008

Teresa Ranieri - "In the land of p..." - O Espaço do Tempo



In the land of p...
Teresa Ranieri Portugal / Itália
12 e 13 Setembro 2008
Blackbox - 21h30

In the Land of P...

Pensamentos patéticos
Púlpitos picantes
Pavios penetrantes
Panaceias potenciais
Passas privadas
Pevides de paisagens
Picos privados
Palcos possíveis
Particularidades

1 caixa branca com paisagens de uma essência
1 tapete vermelho com um Eu despido
1 ecrã com o jogo da vida
1 vestido púrpura bordado com infelicidade
Meia dúzia de cebolas temperadas com desespero
2 facas com as opiniões dos outros
1 microfone com um eco de realidade


Direcção, criação e interpretação: Teresa Ranieri
Dramaturgia: Sara Anjo
Multimédia e sonoplastia: Bruno Perosa
Fotografia: Tiago Fróis
Desenho de luz: Nuno Borda d’ Água
Assistência de produção: Sara Anjo e Dorota Lecka

Co-produção: O Espaço do Tempo e Oficinas do Convento

Apoio: GDA (Gestão dos Direitos dos Artistas), Storytailors

INFORMAÇÕES E RESERVAS - 266 899 856 | 913699895 - carla.santos@oespacodotempo.pt

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Últimas Semanas || Espectáculo nos Jardins || Quinta da Regaleira - Sintra


Foto de Sérgio Santos

« Que a Loucura reine nesta terra de Portugal,

Cheia de gente cinzenta, séria e triste,

A esquecer-se do mal que existe

Com choques tecnológicos,

Consumismo e futebóis

…à falta de outras armas em riste !»

a Cultursintra apresenta:

Folia
Tu és isso

Quinta da Regaleira - Sintra
5ª a Sábado: 22h | Dom: 20h

pelo Teatro TapaFuros até 14 de Setembro

Encontra-se disponivel no blog (tapafuros.blogspot.com), o documentário realizado o ano passado acerca das origens do projecto, e os seus intervenientes.


Texto: Paulo Borges; Encenação/Direcção Artística: Rui Mário; Dramaturgia: Paulo Borges, Teatro TapaFuros; Direcção Musical/ Arranjos: Pedro Hilário; Direcção de Actores: Samuel Saraiva; Cenografia/ Adereços: Carlos Ramos; Vídeo: Samuel Saraiva; Desenho de Luz: José Miguel Antunes, Mário Trigo; Design / Web: Pedro Marques; Fotografia: Sérgio Santos; Figurinos: Elisabete Figueira, Pedro Marques; Interpretação: Anabela Faustino, Filipa Duarte, João Rafael, José Redondo, Mário Trigo, Nuno Pinheiro, Paulo Cintrão, Rute Lizardo, Samuel Saraiva; Figuração/Teatro Reticências: Ana Rita Neves, Ana Trindade, Bárbara Carlos, Carolina Salles, Catarina Salgueiro, Catarina Trindade, David Severino, Inês Amaro, Marco Silvestre, Mário Portelinha, Nidia Roque, Pedro Manaças; Músicos: Alexandre Leitão, António Neves, Jorge Domingues, Miguel Costa; Montagem Vídeo/Soldado: Rui Zilhão; Vozes Off: Adele Sidaru, Jorge Telles de Menezes, Inês Figueira, Natacha Quaresma, Paulo Borges, Ricardo Ventura, Rui Lopo, Rui Mário, Vanessa Muscolino; Costureiras: Dília Queiroz, Adélia Canelas; Luminotécnia: Fábio Ventura, Gonçalo Africano; Apoio à Montagem: Emanuel Ventura, Marco Silvestre, Pedro Manaças; Limpeza: D. Lizete, Direcção de Cena: Sónia Tobias; Frente de Sala: Filipa Tobias, Tânia Tobias; Produção Executiva: Catia Martin; Direcção de Produção: Marco Martin

www.tapafuros.com

tapafuros.blogspot.com




CONFERÊNCIAS :EFÉMERO.CRIAÇÃO ACONTECIMENTO


EFÉMERO.CRIAÇÃO.ACONTECIMENTO
ENCONTRO DE ESTÉTICA E TEORIA CULTURAL

16 e 17 de Setembro
Institut Franco-Portugais (ENTRADA LIVRE)

A Arte… não produz conceitos, ainda que proponha problemas e provocações.
Mas gera sensações, afectos e intensidades.
Esse é o seu modo de propor problemas, que por vezes se alinham com… conceitos.

Elizabeth Grosz
[Chaos, Territory, Art: Deleuze and the framing of the earth,
New York, Columbia University Press, 2008, p. 1]

O Encontro Efémero.Criação.Acontecimento visa reunir investigadores universitários, criadores e mediadores culturais para uma reflexão e um debate capazes de aprofundar o conhecimento sobre a Arte, em particular a que é realizada em Portugal. Objectivo complementar: discutir criticamente os caminhos que a Criação pode percorrer quando lhe importa rever a sua dimensão estética e política, no seio da sociedade actual.

Repensar a nossa relação com o Efémero e aceitar o desafio do Acontecimento, em antecipação de uma Bienal da Luz, são duas acções articuladas que motivam uma visão estratégica sobre a problemática da criação na contemporaneidade. Se os convidados estrangeiros Christine Buci-Glucksmann [França] e Malcolm Miles representam duas posições particularmente ricas e sólidas sobre as duas categorias que o Encontro procura debater, o conjunto de convidados nacionais oferece uma panorâmica abrangente e transversal da produção artística na actualidade, nomeadamente na sua relação não apenas com o mundo das ideias, mas com o próprio espaço urbano e o presente quotidiano.

Participantes, modelo e objectivos
Christine Buci-Glucksmann, José Manuel Rodrigues, Margarida Medeiros, Pedro Costa, Luís Oliveira, Susana Mendes Silva, João Fernandes, Pedro Amaral, Paulo Ferreira de Castro, Luís Carmelo, Malcolm Miles, Manuel Gusmão, Teresa Cruz, Jacinto Lageira, Pedro Bandeira, Delfim Sardo, João Tabarra, Miguel von Hafe Pérez, Tiago Guedes, Ana Pais, Pedro Cabral Santo, Carlos Vidal e Idalina Conde debatem a articulação entre dois conceitos filosóficos – o Efémero e o Acontecimento – fundamentais no âmbito da produção artística contemporânea.

Relevando o pensamento e experiências marcantes no campo da investigação, da mediação cultural e da actividade artística, em áreas diversas – das artes plásticas à música, do cinema à fotografia –, o encontro propõe-se não apenas como gesto cartográfico, mas sobretudo enquanto modelo de reflexão estratégica para a criação artística na actualidade e a sua afirmação em sentido lato.

Destinatários
Investigadores e estudantes do Ensino Superior, com relevo para as áreas da Filosofia e da Estética, da História e Crítica de Arte, das Artes Visuais e Performativas, das Ciências Sociais e de áreas projectuais como a Arquitectura, o Design ou o Urbanismo. Revestir-se-á de interesse também para quaisquer agentes e mediadores culturais, sem exclusão de outros profissionais do Desenho Urbano ou da Arte Pública, assim como de um público geral interessado nas questões da produção e da recepção da actividade artística.

Comissão de curadores
Jean-Paul Lefèvre, Levina Valentim, Mário Caeiro, Sílvia Rosado

Editores
Pedro Andrade, Teresa Alves


PROGRAMA
16 DE SETEMBRO
10H30
SESSÃO I – O EFÉMERO I
Boas-vindas por Sua Excelência o Senhor Denis Delbourg, Embaixador de França em Portugal
Apresentação pelo comissariado
Christine Buci-Glucksman filósofa, professora jubilada Paris 8 L’Ésthétique de l’Éphémère (em francês)
Debate

12H30
Pausa-almoço

14H30
SESSÃO II – O EFÉMERO II
José Manuel Rodriguesfotógrafo
Margarida Medeiros crítica de fotografia
Pedro Costa cineasta
Luís Oliveira programador de cinema
Pausa-café
Susana Mendes Silvaartista plástica A vida no presente
João Fernandesprogramador cultural
Pedro Amaralcompositor Escrita – ou a inconsciência provisória do efémero
Paulo Ferreira de Castro musicólogo Entre o efémero e o musical: à escuta de Mallarmé e Debussy
Luís Carmelosemiólogo relator
Debate

17 DE SETEMBRO
10H00
SESSÃO III – O ACONTECIMENTO I
Comissariado – Da articulação entre Efémero e Acontecimento
Malcolm Miles ensaísta: teoria cultural Art Happens - the creative imagination, the state
of emergency, and moments of emergent formation (em inglês)
Manuel Gusmãoescritor
Teresa Cruz Investigadora: ciências da comunicação
Jacinto Lageira investigador: estética Événement et avènement (Acontecimento e advento, em francês)
Debate

12H30
Pausa-almoço

14H30
SESSÃO IV – O ACONTECIMENTO II
Pedro Bandeira arquitecto Arquitectura ou Revolução
Delfim Sardo crítico de arte
João Tabarra artista plástico A Receita, canções de embalar para o rebanho
Miguel von Hafe Pérez curador O acontecimento como não acontecimento – o sublime invertido na obra de Graham Gussin
Pausa-café
Tiago Guedescoreógrafo
Ana Paiscrítica de teatro Acontecimentos de carne e osso
Pedro Cabral Santo artista plástico Do Virtual ao desejo de espectador
Carlos Vidalcrítico de arte Luz, opticalidade, pintura: uma contradição natural
Idalina Condesocióloga relatora
Debate

19H00
Conferência de Encerramento
Christine Buci-Glucksmann De l’Éphémère à l’Ornement (em francês)
Sessões da manhã: comunicações de 30 minutos, com as excepções de Christine Buci-Glucksmann e Malcolm Miles (45m)
Sessões da tarde: comunicações de 20 minutos
Este programa poderá sofer alterações por motivos imprevistos

efemero.acontecimento@gmail.com

Arraiais do Mundo


Festival Arraiais do Mundo

Tavira | 5 - 7 Setembro

De rumo ao Sul descemos a Serra do Caldeirão num quadro de suaves colinas cobertas de figueiras, amendoeiras, oliveiras e alfarrobeiras, até chegar ao mar e a Tavira, uma bonita cidade localizada em ambas as margens do rio Gilão. Tavira possui um dos mais completos arraiais existentes no país, o Arraial Ferreira Neto, “aldeia” que em tempos acolheu as famílias dos pescadores e os aparelhos de pesca do atum. Nos próximos dias, monta-se o arraial na Praça da República, no centro de Tavira. Música, dança e sopa de peixe!

A partir das recolhas feitas este Inverno na Serra de Caldeirão, os Gaiteiros de Lisboa estreiam-se nos bailes. Um baile à medida de Tavira, com arranjos feitos a partir de melodias, quadras e coreografias dos antigos bailes populares, com a criatividade própria e característica do grupo.

Os Mosca Tosca estabeleceram uma colaboração inédita com o Rancho Folclórico da Luz de Tavira, mostrando como se pode viver a tradição no século XXI.

Os Omiri oferecem um baile animado por música feita a partir de instrumentos tradicionais e computador, acompanhada pela manipulação, em tempo real, de imagens vídeo actuais e antigas do Algarve e outras paisagens.

Programa

Sexta-Feira 5 Setembro

18h30 – Oficina de Danças Tradicionais Portuguesas com Liliana Araújo, Jardim do Coreto

22h00 – Baile com Gaiteiros de Lisboa, Praça da República


Sábado 6 Setembro

12h30 – Almoço-Tertúlia sobre o Mundo do Mar em Tavira.

18h30 – Oficina de Danças Tradicionais do Algarve com Rancho Folclórico da Luz de Tavira e Matias, Jardim do Coreto

19h00 – Início do mercado da ASTA, com demonstração de actividades dos artesãos, Junto ao Coreto

22h00 - Baile com Rancho da Luz de Tavira + Mosca Tosca, Praça da República


Domingo 7 Setembro

11h00 – Visita à oficina de construção de acordeões de José Domingos em Tavira

18h30 – Oficina de Danças Tradicionais Europeias com Joana Negrão, Jardim do Coreto

22h00 – Baile com Omiri, Praça da República



Entrada Livre!

Carlos Bica no Parque Palmela


É já no próximo Sábado, dia 6, que vais poder assistir a um concerto de Carlos Bica, com todos os participantes do Workshop de Música deste Verão. Carlos Bica é um dos poucos músicos portugueses com referência no panorama do Jazz europeu. Para além do Trio Azul, lidera vários projectos musicais que vai desde a música erudita contemporânea à folk, rock, jazz. Aprendeu a tocar contrabaixo na Academia dos Amadores de Música, nos Cursos de Música do Estoril e na Escola Superior de Música de Würzburg, na Alemanha. Foi membro da Orquestra de Câmara de Lisboa, e de outras orquestras de câmaras alemãs. Fez muita música improvisada, durante anos tocou com Maria João, trabalhou e gravou na área da música popular portuguesa com Carlos do Carmo, José Mário Branco, Janita Salomé, Camané e participou em inúmeros festivais de Jazz internacionais. As aulas do Workshop de Música repartiram-se por dois níveis distintos (1º nível: iniciação / 2º nível: master class com Carlos Bica) e abrangeram voz, instrumentos de sopro, guitarra, piano, baixo e bateria. Agora os participantes vão mostrar o que aprenderam, num concerto final, ao lado do próprio Carlos Bica e dos restantes professores do workshop. Basta apareceres no auditório do Parque Palmela, no Sábado, pelas 21h30. A entrada é livre e o espectáculo promete! Espectáculo Final do Workshop de Música 2008 Auditório Fernando Lopes Graça Parque Palmela Av. Marginal (junto ao Hotel Estoril-Sol) Tel.: 214825447

FESTIVAL MÚSICA VIVA


FESTIVAL MÚSICA VIVA
CONVERGÊNCIA DE EXPRESSÕES E ESTÉTICAS MUSICAIS MÚLTIPLAS

19 A 27 DE SETEMBRO 2008MOSTEIRO DOS JERÓNIMOS + CENTRO CULTURAL DE BELÉM + FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN


O Festival Música Viva, na sua 14ª edição, é tanto a nível nacional como internacional um amplo e reconhecido espaço de renovação e encontro com as metamorfoses sonoras da música de hoje.

Sítio privilegiado de circulação e confronto de ideias e de estéticas, este festival é também ponto de convergência da criação musical e da inovação tecnológica e um pólo fundamental de diálogo da música com outras áreas da criação contemporânea.

Numa área artística que se estende do domínio instrumental e analógico ao virtual e electrónico, da música improvisada à música escrita, este ano o Festival Música Viva propõe mais uma vez nomes consagrados, lado a lado com novíssimos compositores e intérpretes. Das grandes formações orquestrais aos emblemáticos concertos de música electrónica pela Orquestra de Altifalantes, passando pela música de câmara, pelas instalações, pelo vídeo, pela palavra, pelo teatro musical e pelos espectáculos para crianças, a criação musical portuguesa e internacional afirma aqui a sua plena vitalidade e diversidade.

O Festival Música Viva 2008 apresenta um total de 24 acções distintas, 124 obras, das quais 20 peças electrónicas no novo projecto Sound Walk, 88 obras tocadas em concerto, 6 instalações sonoras no Interactive Lounge. De um universo de 82 compositores representados e 53 estreias absolutas, 27 são estreias de compositores portugueses, prova inequívoca da prolífica actividade criadora actualmente em Portugal e à qual o festival dá voz.


CONCERTO DE ABERTURA DO FESTIVAL:

DIA 19 | IGREJA DO MOSTEIRO DOS JERÓNIMOS: ORQUESTRA METROPOLITA NA DE LISBOA*

PROGRAMA NO CCB:

DE 20 A 27 | CAMINHO PEDONAL: SOUND WALK + INTERACTIVE LOUNGE*

DIAS 20 E 27 | HALL DE ENTRADA: Π-ANO[4X]*

DIA 20 | SALA LUÍS DE FREITAS BRANCO: SOND'AR-TE ELECTRIC ENSEMBLE

DE 23 A 27 | SALA DE ENSAIO: CONTOS CONTA DOS... CANTA DOS COM SOM

DIA 23 | SALA DE ENSAIO: VIOLINO E ELECTRÓNICA — JOSÉ MACHADO + ORQUESTRA DE ALTIFALANTES I

DIA 24 | SALA DE ENSAIO: VOX VOCIS 3.0 + QUASARS ENSEMB LE + ORQUESTRA DE ALTIFALANTES II

DIA 25 | SALA DE ENSAIO: CLARINETE E ELECTRÓNICA — NUNO PINTO + DUO CON:FUSION + ORQUESTRA DE ALTIFALANTES II

DIA 26 | SALA DE ENSAIO: QUINTETO DIAPHONIA + CRASH ENSEMBLE

DIA 27 | PEQUENO AUDITÓRIO – SALA EDUARDO PRADO COELHO: SMITH QUARTET



* Espectáculos de Entrada Livre


Mais informações em: www.misomusic.com

Paper Boat Builders - Fabrica Features Lisboa - Sábado, 6 de Setembro


FABRICA FEATURES LISBOA apresenta

Paper Boat Builders
de Ariana Couvinha e Márcio Barcelos


Sábado, 6 de Setembro :: 18h
Fabrica Features Lisboa - Chiado

Exposição patente até 4 de Outubro.


* * *
FABRICA FEATURES LISBOA :: MEGASTORE BENETTON CHIADO- 4º ANDAR
Rua Garrett nº 83 . 1200-203 LISBOA :: 21 325 67 65 :: fabricalisboa@gmail.com :: fabrica-features-lisboa.blogspot.com


quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Workshop Construção e Manipulação de Bonecos de Varas

Ciclo
Artes Circenses
Workshop
Construção e Mainpulação de Bonecos de Varas
Formador
João Calixto
Horário (total de 9 horas)
14 Setembro - 15h/18h
21 Setembro - 15h/18h
28 Setembro - 15h/18h
Valor
65€
Limite de Inscrição
11 Setembro


Sinopse
A partir dos lutadores de "Petits Contes Nègres" da companhia RoyalDeLuxe e do conto "A Idade Heróica" de Henri Michaux, pretende-se odesenvolvimento de um trabalho de sensibilização ao teatro demarionetas. Construção, manipulação e composição com vários bonecos e3 manipuladores por boneco.

Conteúdos
Sessão 1.
Partindo de materiais pobres pretende-se a construção de umboneco (1m de altura aprox.) por cada 3 pessoas.
Sessão 2.
Através de exercícios técnicos e de improvisação desenvolveruma habituação à manipulação.
Sessão 3.
Construção de uma simples dramaturgia e respectivasimprovisações e definições visando a composição de uma cena com osdiversos bonecos construídos.

Materiais (por participante)
Dois cabos de vassoura (madeira).
Roupa velha, sapatos, luvas, chapéus (a fim de vestir o boneco).
Rolo de fita papel (3 cm largura aprox.)
Cordão (tipo atacadores sapatos)
Tesoura
Berbequim e serrote ou tico-tico (se o possuir)

Observações
Cada participante deve trazer vestuário apropriado para cada sessão.Assim na 1ª sessão deve trazer roupa que possa sujar. Na 2ª e 3ªsessão a roupa deverá ser confortável e de pouca cor. (se possível nãotraga roupa preta).Os materiais e a dedicação na sua procura são fundamentais.

Formador

João Calixto frequentou o Curso de Desenho no AR.CO – Centro de Arte e Comunicação em Lisboa, 1999. Membro da Direção fundadora da Circolando – Cooperativa Cultural, exerce funções de Director Plástico (Cenografia, Adereços, Figurinos) e de Intérprete no período entre 2000 e 2005. Desde Janeiro de 2005, equipado de atelier próprio em Lisboa, trabalha como cenógrafo em regime de freelancer. Desenvolve como cenógrafo e marionetista, "As Pequenas Cerimónias", espectáculo de teatro de marionetas e objectos estreado a Julho de 2007 e actualmente em itinerância. Como formador participou na ESTC - Escola Superior de Teatro e Cinema, na ESTAL - Escola Superior de Tecnologias e Artes de Lisboa, Centro de Pedagogia e Animação do CCB, Espaço Evoé, entre outros.
Informações e Inscrições

AS CRIADAS de João Garcia Miguel


AS CRIADAS

DE JEAN GENET
ENCENAÇÃO DE JOÃO GARCIA MIGUEL
COM ANTON SKRZYPICIEL, MIGUEL BORGES E JOÃO GARCIA MIGUEL


De 13 a 15 e de 18 a 20 de Setembro
Dias 13,15,18,19 e 20 de Setembro às 21h
Dia 14 às 17h

Pequeno Auditório do Centro Cultural de Belém

FICHA ARTISTICA:

Encenação João Garcia Miguel

Tradução e adaptação do texto João Garcia Miguel a partir de Les Bonnes de Jean Genet

Interpretação Anton Skrzypiciel, Miguel Borges e João Garcia Miguel

Música Rui Lima e Sérgio Martins

Figurinos Ana Luena

Desenho de Luz e Direcção Técnica Luís Bombico

Realização Vídeo Edgar Alberto

Apoio ao Espaço Cénico Mantos

Edição e Operação Vídeo e Fotografia Miguel Nicolau

Produção Executiva Marta Vieira

Registo Documental Raquel Freire

Assistente de Figurinos Catarina Felgueiras

Operação de Legendagem Nuno Correia

Residência artística O Espaço do Tempo | Convento da Saudação

Co-Produção João Garcia Miguel e Fundação Centro Cultural de Belém

Estrutura Financiada Ministério da Cultura | Direcção-Geral das Artes e Fundação Calouste Gulbenkian

João Garcia Miguel é um artista associado do Espaço do Tempo

Quero deixar visível, neste trabalho, a evolução do processo. Assim, porque fui realizando textos, a que por disciplina e método apelidei de sinopses, pretendo agora propor uma deslocação por essas marcas da minha hesitação, das minhas tentativas de regressar à ordem, à superfície ou à luz das coisas do mundo, depois de mergulhar no caos de uma proposta de criação. Deste modo proponho a edição destes quatro textos sinopses, agora na ordem cronológica inversa da sua produção. O questionar que acompanha o gesto criativo, está também aqui impresso e é um instrumento de reflexão adicional para o espectáculo As Criadas.