quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Concerto - Nuno Rebelo no Convento de S. Francisco


Concerto a decorrer no espaço do Convento de S.Francisco no próximo
Sábado, dia 13 de Dezembro de 2008 pelas 22h00.


"Performing the Space "foi criado em Dezembro de 2007 no espaço alkantara no contexto do projecto "Será o que fizermos". A utilização do próprio espaço e de objectos que nele se encontram vem no seguimento do trabalho desenvolvido com Mark Tompkins. A utilização do vídeo como instrumento musical representa uma nova etapa, proporcionando um contraste tecnológico relativamente à crueza dos objectos acústicos. No centro de tudo está o espaço e as propriedades sónicas de tudo o que nos rodeia.

http://www.myspace.com/nunorebelo
http://www.youtube.com/watch?v=H5LO-BtguH0

[+informação]

Oficinas do Convento

Carreira de S.Francisco
Convento de S. Francisco
7050 - 160 Montemor-o-Novo

tel: 266 899 824
fax: 266 899 825

telemóvel
91 636 70 40

http://www.oficinasdoconvento.com

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Alpapé | Cine-Teatro Joaquim de Almeida


Lotação limitada a 50 lugares.

Espectáculo para crianças de todas as idades.


Teatro Praga | Negócio - Zé dos Bois

Teatro Praga
– Ciclo Shall We Dance - Projecto Infanto-Juvenil

A ZDB volta a colaborar com o TEATRO PRAGA, desta vez em consonância com a acção do SERVIÇO EDUCATIVO ZDB (direccionado para o universo escolar do agrupamento vertical baixa/chiado). Esta interacção é fruto de uma ambição antiga de expandir os conteúdos culturais que têm vindo a ser desenvolvidos por ambas as estruturas ao universo infanto-juvenil, numa preocupação de formação de novos públicos.


Pensamos nestes espectáculos como uma tentativa de descentralização pura e dura. Não só do nosso público-alvo maioritário como também da cidade onde normalmente trabalhamos. Assim, teremos de novo um ciclo de parcerias entre criadores Praga e criadores convidados, mas desta feita com um a priori: a criação de um espectáculo orientado para a juventude com uma aproximação ao meio escolar. Apesar de desvios diversos, neste novo Shall We Dance mantém-se alguns axiomas intactos: dois criadores do Teatro Praga (André Teodósio e Cláudia Jardim) convidam dois artistas exteriores à companhia (Patrícia Portela e André Godinho) para construírem dois objectos artísticos que fazem parte de um mesmo espectáculo.
Teatro praga


ANITA VAI A NADA de Cláudia Jardim e Patricia Portela
Anita é um sucesso editorial com mais de 40 anos que tem passado de geração em geração. Este clássico infantil belga, que no original se chama “Martine” adoptou diferentes nomes consoante o país onde foi traduzido (em Espanha chama-se “Martita”, na Suécia “Mimmi”, na Indonésia “Tini”, na Turquia “Aysegül e em Itália “Cristina”, por exemplo). É essa aculturação que se pretende ver trabalhada, recuperando um ícone da nossa infância. Do imaginário referencial de duas criadoras, Cláudia Jardim e Patrícia Portela - dos seus “choques bilaterais” e dos confrontos de tempo e espaço -, nascerá um espectáculo vocacionado para um público juvenil, onde as pontes que se estabelecem com as gerações mais novas (para as quais a Anita dos dias de hoje pode bem ser outra coisa qualquer) questionarão um universo feminino a partir do modelo proposto por Anita. Já não há espaço para a Anita Mamã ou para a Anita Dona de Casa. Nos dias de hoje esse modelo está caduco, por isso conduzimos a nossa Anita até ao nada para testar as possibilidades de começar do zero.

SUPERNOVA de André Teodósio e André Godinho
Supernova não é um espectáculo multimédia. É um espectáculo de cinema, e num mesmo tempo um espectáculo de teatro. Supernova é um espectáculo sem idades, um espectáculo didáctico, um espectáculo lúdico e um espectáculo comunitário. Supernova é um espectáculo em duas partes. A ficção e o devolver à realidade. Em Supernova põe-se em cena (ou tela) questionamento sobre o papel do cinema na história da construção de indivíduos e sociedades comuns, a falsificação da realidade e a realização do falso (as eternas questões Benjaminianas). É um espaço onde figuras desconhecidas entram em surdos diálogos (os Srs. Bourdieu e Walter Benjamin, Super-Homem e Marshall McLuhan), onde televisão e cinema convivem e onde actores são público e vice-versa. Tudo isto torna Supernova num carrossel teatro-visual inesquecível onde um publico juvenil se consciencializa de que é alguém, um dos não-mitos reais, alertando ao mesmo tempo para o problema actual da rebelião juvenil (contra tudo e contra todos) proveniente de uma incapacidade de lidar com as violentas expectativas sociais impostas por uns media publicitariamente mitificadores. Supernova. somos nós. Supernova somos nós.



De 29 de Novembro a 13 de Dezembro:
Espectáculos para público Serviço Educativo ZDB: 3as, 4as, 5as e 6as às 10h e às 14h.
Espectáculos para público em geral: Sábados: 29 Novembro e 6 de Dezembro às 16h e 21h30,

dia 13 último espectáculo às 21h30.

O Serviço Educativo ZDB é gratuito para alunos e escolas sob marcação prévia.

+ info: site ZDB + info: teatro praga

Reservas: reservas@zedosbois.org Tel.21343020 NEGÓCIO_Rua de O Século nº 9 porta 5

Teatro Praga – Ciclo Shall We Dance - Projecto Infanto-Juvenil
Co-produção Teatro Viriato / Teatro Praga

Yatch | Concerto Zé dos Bois

Sexta, 28 de Novembro às 23h
Tu_não_és_perene_sessions

YACHT (US)
CALHAU! : O CAMINHO DA CABRA (PT)

YACHT
Yacht é Jona Bechtolt, um dos mais relevantes nomes da nova música avançada norte-americana.

Produto genuíno da era digital, Yacht/Bechtolt navega de sorriso nos lábios ao sabor dos movimentos

do mundo, na certeza de que o absurdo é necessário para não se sucumbir à loucura objectiva.
Aqui é tudo pop, mas ao contrário. Uma expansão comemorativa de toda uma inquietude criativa.

Canções são canções mas não são bem canções - talvez acidentes policromados de zeros e uns a pulsarem vida-vida-vida resuma melhor a coisa (enfim, provavelmente não). No palco, domina a espontaneidade. Bechtolt tem ancas, tem braços, tem estilo. Mexe-se tudo, mexe-se em tudo.

O nativo de Portland aterra pela primeira vez no palco da ZDB à beira de se tornar um fenómeno global, ou não fosse o projecto Yacht uma das novas apostas da nova-iorquina DFA Records (LCD Soundsystem, Hot Chip, Juan McLean, etc.). Esqueçam o frio, venham ver o mito começar.

+ Info: site|myspace|video|vídeo|vídeo|vídeo

CALHAU!: O CAMINHO DA CABRA
João Alves Von Calhauism e Marta Ângela Von Calhauism são Calhau, nave espacial DIY formada no

Porto em 2006 e actualmente a voar destacada na linha da frente da avant pop portuguesa.
Unidade de pesquisa-enquanto-perfomance com o sentido de humor mais inteligente do país,

Calhau explora a ideia de arte sonora na exacta medida do seu potencial manipulador.

Num patamar concretista, o duo Von Calhauism trabalha com materias exóticos / loja chinesa da esquina como brinquedos electrónicos, tubos de água, santinhos reluzentes, etc., seguindo muito livremente passos anteriormente trilhados em território nacional pelos No Noise Reduction de Rafael Toral e João Paulo Feliciano. Depois da apresentação o ano passado da inesquecível Nossa Senhora de Fátima Machine, em colaboração com António Contador, cúmplice habitual de Calhau, esta nova actuação centrar-se-á no filme-projecto "O Caminho da Cabra". Segurem-se.

+ Info: myspace|entrevista

Entrada: 8 € | Entradas disponíveis antecipadamente nas lojas AnAnAnA, Flur e Louie Louie

Tora Tora Big Band | Concerto - Zé dos Bois

Quinta, 27 de Novembro às 23h
It's_my_party_and_I'll_cry_if_I_want_to_sessions

TORA TORA BIG BAND (PT)
Tora Tora Big Band regressa à ZDB: vários músicos com diversas nacionalidades que chamam casa a
Lisboa e fazem do jazz uma explosão orquestrada de ritmos quentes que viajam das Caraíbas a África,
passando pelo Brasil. Na bagagem a nossa Big Band favorita traz também faixas de 'Tora Tora Cult', o
muito aplaudido álbum do ano passado. Vai estar calor, a festa vai ser bonita - venham dançar connosco.

+ Info: myspace|vídeo

Entrada: 7.5 €

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Sizo + The Faint - 4 de Dezembro - Club Lux - Lisboa


Foto | Rui Luis

Os Sizo vêm ao Lux apresentar o novo disco Got To Love People Who Set Themselves Up For Disaster. O disco com produção de Jorge Coelho tem data de lançamento prevista para Janeiro de 2009 em Portugal e Espanha. Os Sizo formaram-se no Porto em 2005. Denominam-se um “power trio” com quatro elementos. Têm voz, guitarra, moog e uma bateria. Não têm baixo e é grave. São pessoas educadas e de bom tom. Frequentam bares e esplanadas. Irritam-se facilmente. Odeiam pombas. Sabem de cor todos os acordes. Estão actualmente a preparar o manifesto “#15 Há Situacionismos”. Gostam de dar concertos e fazem-no frequentemente. Já partilharam palco com bandas como Black Lips, 1990s, Devotchka, New Young Pony Club, Linda Martini, Dapunksportif, Midnight Juggernauts. Destaca-se a monumental actuação dos Sizo na pequena cidade de Carballo na Coruña para cerca de 600 pessoas de origem espanhola/galega, na qual o palco começou a arder.

www.deathtosizo.com www.myspace.com/sizo

THE FAIT

Pensem numa mistura punk, electro, indie rock, new wave, tecno e tudo o mais o que vos vier à cabeça, juntem uma enorme dose de criatividade e autenticidade, levem para uma pista de dança e instalem a loucura e diversão. Eis os The Faint! Com quatros álbuns editados através do selo Saddle Creek, casa de gente como Connor Oberst a.k.a. Bright Eyes, Two Gallants, Tokyo Police Club, Azure Ray, entre outros, os The Faint vêm ao Lux em Lisboa, trazendo na bagagem toda esta panóplia de sons inclassificáveis e alucinantes, com incidência para “Fasciinatiion”, o quinto disco da banda, agora sob o selo da sua própria editora Blank.wav. “Fasciinatiion” é um registo que os próprios consideram como o melhor e mais verdadeiro de todos os que lançaram até à data e que significou um derrubar de muros que os impedia de dar o salto.

www.thefaint.com www.myspace.com/thefaint

Abertura de portas: 21h00 | Início do Espectáculo: 22h00

Bilhetes à venda: Lux, Fnac e www.ticketline.sapo.pt.

Preço: 18,00€




"Zoetrope" - Espectáculo de Rui Horta e Micro Audio Waves...

Lançamento do 3º número da Volte-Face


FABRICA FEATURES Lisboa
Rua Garrett nº83, 4º andar
1200-203 Lisboa | Portugal
tel:+351 21 32 56 765

fabricalisboa@gmail.com
fabrica-features-lisboa.blogspot.com
www.fabrica.it

Asian Dub Foundation | 16 de Dezembro


Foto - Rui Luis

16 de DEZEMBRO
SANTIAGO ALQUIMISTA

São provavelmente a melhor banda a discursar sobre a afirmação das periferias. Têm no som e nas letras o tom de protesto que os caracteriza. Foi assim no ínicio e continua no novo trabalho “Punkara”, o mesmo que vêm mostrar a Lisboa no próximo dia 16 de Dezembro, no palco do Santiago Alquimista. A banda inglesa é uma das melhores alquimistas da música actual juntando sonoridades dubstep, reggae, jungle e hip-hop com temas como a defesa dos direitos humanos e a luta contra o racismo. Entre os ritmos frenéticos e os temas mais introspectivos, os Asian Dub Foundation nunca deixam de desafiar quem os vê e ouve, fazendo de cada espectáculo um exercício físico e mental. Nunca foi mais pertinente um concerto deste colectivo inglês: propostas sonoras e políticas de vanguarda, folclore urbano para os mais atentos. A não perder!

Site Oficial - www.asiandubfoundation.com

MySpace - www.myspace.com/asiandubfoundationuk

Videos - New Way New Life | Burning Fence

Local:
Santiago Alquimista

Data:
16 de Dezembro

Início do Espectáculo:
Brevemente

Bilhetes:
25€

Locais de Venda:
- CTT
- Fnac
- Worten
- Agências ABEP e Alvalade
- Agências Abreu
- Megarede
- Bliss (Oeiras Park e Montijo)
- Livraria Bulhosa (Oeiras Park)
- Ticketline
(Reservas + 351 707 234 234 e www.ticketline.pt)

Super Bock em Stock!!!


3 e 4 de Dezembro

São Jorge – Salas 1 e 2 | Teatro Tivoli
Teatro Variedades | Cabaret Maxime

E você? Já sabe qual vai ser o seu percurso no SUPER BOCK EM STOCK?

O Super Bock em Stock está a chegar e promete dois dias com mais de 20 projectos em cinco salas na linha da Avenida da Liberdade. Hoje avançamos com mais um nome de peso que trará ritmos frenéticos a um cartaz que tem no ecletismo e na frescura os seus maiores atributos.

Os Stereo Addiction são uma das principais duplas de dj’s/produtores portuguesas sendo responsáveis por um curriculum invejável: em Portugal, já agitaram as pistas dos principais dance clubs. No estrangeiro, são constantemente requisitados por clubes no Japão, Brasil, Suíça, Suécia, França, Inglaterra ou Espanha.

Gustavo e John-e trazem ao Super Bock em Stock o seu tecno-house progressivo, o que vai deixar radiantes os melómanos que não gostam das festas que acabam cedo. Dia 4 de Dezembro, no Teatro Variedades, a partir da 01h15. O parque Mayer nunca mais será o mesmo!


DIA 3
CABARET MAXIME
21h30 – 22h30
Norberto Lobo + Jack Rose
23h00 – 00h00
A Fine Frenzy
00h15 – 01h15
El Perro del Mar


TEATRO TIVOLI
21h30 – 22h30
José James
23h00 – 00h00
Santogold


CINEMA SÃO JORGE (sala 1)
21h30 – 22h30
Ladyhawke
23h15 – 00h15
Rui Reininho


CINEMA SÃO JORGE (sala 2)
21h00 – 22h00
doismileoito
22h30 – 23h15
Os Pontos Negros


TEATRO VARIEDADES
(PARQUE MAYER)
21h00 – 21h30
The Guys From The Caravan
22h00 – 23h00
Caravan Palace
23h30 – 00h30
Tanya Stephens





DIA 4
CABARET MAXIME
21h30 – 22h00
The Profilers
22h30 – 21h30
DeMarco*


TEATRO TIVOLI
21h30 – 22h30
Marcelo Camelo
23h00 – 00h00
The Walkmen


CINEMA SÃO JORGE (sala 1)
21h30 – 22h30
Phoebe
23h00 – 00h00
Deolinda


CINEMA SÃO JORGE (sala 2)
21h00 – 21h30
João Coração
22h30 – 23h30
peixe:avião


TEATRO VARIEDADES
(PARQUE MAYER)
21h00 – 22h00
Lykke Li
22h30 – 23h30
Zita Swoon – a band in a box
00h30 – 01h00
X-Wife
01h15
Stereo Addiction



O No Super Bock em Stock o público é um dos principais protagonistas.

Depois de adquirir o bilhete e o trocar pela respectiva pulseira – troca disponível no Cinema São Jorge a partir de dia 2 – só tem de consultar o programa e delinear o trajecto que vai querer fazer pelas cinco salas em que o festival tem lugar. A partir das 21h, e durante dois dias, existem mais de 20 projectos para descobrir. Uns escolherão andar de sala em sala a descobrir as diferentes sonoridades; outros escolherão marcar cedo lugar naquele concerto mais aguardado. O que nunca é demais dizer é que existe sempre um concerto para assistir.

Para facilitar as movimentações e as escolhas, a Vodafone junta-se a este grande evento através da tecnologia móvel: torres bluetooth serão disponibilizadas em todas as salas para oferecer ao público uma aplicação que informará constantemente as lotações e tudo o que será necessário saber acerca do Festival, nomeadamente o cartaz por sala e os respectivos horários. No portal Vodafone live! está já disponível o site mobile do Super Bock em Stock com toda a informação actualizada acerca do festival.

A apenas pouco mais de duas semanas para o inicio do Super Bock em Stock, não perca tempo, adquira o seu bilhete – até porque a lotação é limitada. Depois disso, a pergunta impõe-se: já sabe qual o seu percurso pelo Super Bock em Stock?.

Site Oficial - www.superbockemstock.com


Local:
São Jorge
Teatro Tivoli
Teatro Variedades
Cabaret Maxime

Data:
3 e 4 de Dezembro

Bilhetes:
Passe único de 2 dias - 40€

Acesso a todos os concertos até à lotação de cada sala


Locais de Venda:
- CTT
- Fnac
- Worten
- Agências ABEP e Alvalade
- Agências Abreu
- Megarede
- Bliss (Oeiras Park e Montijo)
- Livraria Bulhosa (Oeiras Park)
- Ticketline
(Reservas + 351 707 234 234 e www.ticketline.pt)

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Projecto Belonging


| Projecto Belonging Curtas-metragens de jovens do Casal da Boba 28/11/2008 - 21h00 Sala Polivalente do Centro de Arte Moderna

Sessão aberta ao público

Colaboração das estações de televisão: a BBC, a France 5 e a RTP 2. Os canais irão seleccionar alguns filmes, os melhores, e exibi-los.

O Projecto BELONGING nasceu em Inglaterra. A produtora Manifesta juntou-se à organização Runnymede, que promove a igualdade de oportunidades numa sociedade multiétnica, e propôs à Fundação Gulbenkian a realização de um workshop de uma semana para adolescentes de zonas urbanas periféricas, a decorrer simultaneamente em Londres, Paris e Lisboa.

Chamaram ao projecto BELONGING (“Pertencer”, na versão portuguesa) porque o objectivo é não só que os participantes tenham contacto com o meio audiovisual, do ponto de vista da produção e das questões que se colocam ao fazer um filme, mas sobretudo que o façam reflectindo sobre o que significa “pertencer”, a um país, a uma comunidade.

Em Portugal, o workshop decorreu no Casal da Boba, Amadora, um bairro que já teve honras de apresentação em Cannes e outros festivais de cinema por todo o mundo, através do olhar particular do realizador Pedro Costa.

Entrada por convite e por reserva, no limíte dos lugares disponíveis:
Confirmação necessária (até 48 horas antes) para o tel. 217 823 609 / 547

Mais info...

A CARBONÁRIA | Casa Conveniente

Uma récita-atentado de Ana Deus,
António Preto e João Sousa Cardoso, na Casa Conveniente (Lisboa) nos próximos dias 4, 5 e
6 de Dezembro


A Carbonária é um trabalho concebido e interpretado por Ana Deus, António Preto e João Sousa Cardoso, motivado pelo episódio histórico do assassinato do Rei em Portugal e do papel activo das organizações de inspiração republicana, entre as quais a Carbonária Portuguesa, no acontecimento.

Esta “récita-atentado” é uma proposta performativa que cruza a evocação da instauração da República no nosso país com uma reflexão sobre o Portugal contemporâneo. Os três autores (e performers) escolheram trabalhar a obra “Porque Morreu Eanes” do escritor Álvaro Lapa (1978), um texto construído a partir da técnica do “cut up”, popularizada por Brion Gysin e William S. Burroughs.

O espectáculo, produzido em dois períodos de residência artística (nos Laboratoires d’Aubervilliers, em Paris, e no Estúdio Zero, no Porto), investiga a exploração das formas visíveis na obscuridade (necessária à conspiração política) e a experimentação sonora da palavra, através da voz e do recurso a meios rudimentares operados em cena.

A Carbonária propõe, no cruzamento de diversas formas disciplinares (teatro, canto, artes visuais e literatura), a revisitação do texto de Álvaro Lapa, numa adaptação assumidamente livre. E com isso, pensar o país. Hoje.

Fotografia: PAT

Co-produção: Três Quatro Lente / As Boas Raparigas...

Ano de produção: 2008


Título: A Carbonária – Uma récita-atentado

A partir de: “Porque Morreu Eanes” de Álvaro Lapa
Concepção, encenação e interpretação: Ana Deus, António Preto, João Sousa Cardoso

Datas e horário: 4, 5 e 6 Dezembro, às 22h

Local: Casa Conveniente - Rua Nova do Carvalho, 11 (ao Cais do Sodré) - Lisboa

Bilhete: 10€ / 7,5€ (desconto - de 30, + de 65 e profissionais do espectáculo)

Reservas: 96 351 1971 / 91 770 5762





sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Be On Stage | Cine Teatro Joaquim D´Almeida


Exposição Fotográfica do projecto Be On Stage | Rui Luis

Cine-Teatro Joaquim de Almeida - Montijo
de 6 a 30 de Novembro de 2008

"A base deste projecto de exposição fotográfica é explorar a conexão – íntima e indivisível – existente entre a imagem e o som, no seu estado bruto. Procuro focar este “estado”, quer pela fotografia de música, quer pela fotografia de concertos, cerne do meu portfólio fotográfico.
As fotografias seleccionadas para este trabalho são acompanhadas de reflexões pessoais, elaboradas pelos artistas fotografados, sobre o que é “estar em palco”. Aqui nasce o “Be On Stage”.
Futuramente, esperando que o “Be on stage” cresça, a difícil selecção fotográfica será vencida e os “primeiros passos” deste recém-projecto serão dados para a merecida compilação fotográfica e escrita.

Rui Luís

Cinema-Teatro Joaquim D´Almeida
Rua Joaquim de Almeida,
2870-340 Montijo
Tel | 212327882
Mail | ctja@mun-montijo.pt

Horário
Quarta e Quinta | 16h-19h | 20h30-22h
Sexta | 16h-22h
Sábados | 10h-13h | 16h-22h
Domingos | 15h-19h


www.ideiasnoescuro.com | info@ideiasnoescuro.com | Tel | + 351 916 963 969


sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Ciclo Arte e Novas Tecnologias :: Teatro Aveirense


Ciclo Arte e Novas Tecnologias*
23 de Outubro a 13 de Novembro no Teatro Aveirense
Estilos e tendências inovadoras da criação actual alimentam relações surpreendentes
em âmbitos tão heterogéneos como a performance, a dança e a música. O resultado são
obras híbridas que, muitas vezes, fogem a uma fácil categorização. Guiar o espectador
em caminhos iniciáticos, propondo-lhe uma programação de qualidade e original, assim
como, a descoberta de diferentes horizontes, são os objectivos deste ciclo.
www.teatroaveirense.pt || t.234 400 921

Lançamento do Livro Horizontes

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Mês do Documentário no IFP

MÊS DO DOCUMENTÁRIO NO INSTITUTO FRANCO-PORTUGUÊS
Depois da Festa do Cinema Francês, o Instituto Franco-Português programa em Novembro, para assinalar o Mês do Documentário, uma série de 3 documentários absolutamente excepcionais que não vai querer perder.
Tome nota. É dias 4, 11 e 18 de Novembro, sempre às 19h00 no auditório do Instituto Franco-Português À Av. Luís Bívar, 91 em Lisboa.
Começa
Dia 4 de Novembro às 19h00 no Instituto Franco-Português
com
ITCHKERI KENTI LES FILS DE L'ITCHKERIE de Florent Marcie (2006 - 145 min. / V.O. legendado em português
Tchetchénia, 1996. O jovem realizador, Florent Marcie, percorre clandestinamente o país em guerra, ao encontro de um povo em resistência. Montado dez anos depois, como testemunho de uma história esquecida, os tchetchenos consideram-no um filme símbolo.
Segue
DIA 11 de Novembro, 19h00, IFP
com
LE RIDEAU DE SUCRE de Camila GUZMAN URZUA (2006 - 80 min. / V.O. legendado em português).
Filme largamente premiado, Le rideau de sucre, trilha os rastos de uma infância feliz em Cuba e vai ao encontro do presente. Que é feito da geração revolucionária em Cuba que viu logrados os seus ideais? Que é feito dos que ficaram ?
E termina
Dia 18 de Novembro, 19h00, IFP
com
LE PAPIER NE PEUT PAS ENVELOPPER LA BRAISEde Rithy Panh 2006 - 90 min. / V.O. legendada em português).
No coração de Phnom Penh, um prédio alberga 13 prostitutas menores de vinte anos. Ao filmar de perto as suas conversas, Rithy Panh, mergulha-nos no mais fundo do desespero humano, o destas jovens destruídas. Mais uma vez as feridas de um povo mutilado pelo genocídio.
Prémio FIPA d’Or 2007 na categoria Documentários de Criação e Ensaios.


Dead Combo ao vivo...

Festival One Man Band

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Exposição "Endoscopia do Medo" | 30 OUT | 19h00


"Endoscopia do Medo" estará patente de 30 de Outubro a 13 de Novembro e consiste num conjunto de peças originais de joalharia contemporânea inspiradas no universo do Cinema de Terror, produzidas no âmbito do Concurso Ourives CTLX`08 pelos finalistas da Escola Secundária Artística António Arroio (EAA).

No dia da inauguração será exibida, em sessão especial, a curta-metragem "Carrinho de Mão" (POR / 2008), de Fernando Jesus, inspirada no conto homónimo de Pedro Martins, presente no livro "Contos de Terror do Homem-Peixe" uma edição CTLX / Edições Chimpanzé Intelectual.

ARTICULA – Jóias e Objectos | Rua dos Remédios, 102 – Alfama – Lisboa | Telf: 93 411 32 25
Horários: 2.ª, 3.ª, 5.ª, 6.ª (10h/13h - 14h/18h) | Sábados (10h/14h)
www.teresamilheiro.com

Autocarros: 9, 25-A, 28, 35, 39, 46, 59, 90, 107, 206, 216
Metro: Estação Santa Apolónia (Linha Azul)
Estacionamento: Parque Jardim do Tabaco

MAPA

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Noa em Portugal


Chega a Portugal a maior estrela da música de Israel, co-autora e interprete do tema título do filme "A Vida é Bela", de Roberto Benigni. O Centro Cultural de Ílhavo é o ponto de partida para esta digressão de 4 datas que continua para Faro, onde actua no dia 9 no Teatro das Figuras. Segue-se o CCB em Lisboa, no dia 10 e no dia seguinte a digressão fica completa com o espectáculo de Braga, no Theatro Circo.

Noa estreou-se em 1991 com o álbum Achinoam Nini and Gil Dor Live e desde então nunca mais parou. Cantou para para Bill Clinton, foi cabeça de cartaz em concertos a favor da paz, assinou intensos duetos com Sting e Stevie Wonder e dividiu o palco com Carlos Santana, Sheryl Crow e George Benson, entre dezenas de outros artistas. Influenciada pelas obras clássicas de Leonard Cohen e Paul Simon, Noa sempre se mostrou aberta a todas as influências que a música pode receber - da pop aos delicados sons de quarteto de cordas. E em palco é onde todas estas dimensões ganham vida e a singular capacidade artística de Noa se revela. Assistir a um concerto desta cantora é uma experiência única e inesquecível!

mais info:
http://www.noasmusic.com/press
http://www.noasmusic.com/

Inauguração Lx Factory + Concurso Lomográfico + Exposição + Agenda

Em conjunto com a inauguração da LX FACTOTRY a LOMO organiza uma exposição resultante de concurso fotográfico aberto a todos subordinado à temática das Férias (de dia 15 de Junho a 23 de Setembro). Para que o máximo de pessoas possa participar, as Embaixadas Lomográficas emprestam câmaras LOMO gratuitamente. O Concurso é aberto a todos e dele resultam duas exposições / festas nas cidades de Lisboa e Porto, onde serão entregues os prémios.

Do Concurso (fotográfico) Lomoférias'08 (4ªed.) resultam 4 exposições: 3 na cidade do Porto e 1 em Lisboa.

Locais e datas

Porto - 7 NOVEMBRO - Galeria Embaixada Lomográfica do Porto - Rua do Almada, 275
Porto - 7 NOVEMBRO - Metro da Trindade
Porto - 14 NOVEMBRO - Centro Português de Fotografia
Lisboa - 21 NOVEMBRO - Lx Factory (inauguração Lx factory + 51% lomoférias)



LOMO férias e Agenda 51% LOMO

Concurso Lomográfico+ Exposição + Agenda

Um concurso fotográfico aberto a todos subordinado à temática das Férias (de dia 15 de Junho a 23 de Setembro). Para que o máximo de pessoas possa participar, as Embaixadas Lomográficas emprestam câmaras LOMO gratuitamente. O Concurso é aberto a todos, dele resultam duas exposições / festas nas cidades do Lisboa e Porto, onde serão entregues os prémios.

51% LOMO - EXPOSIÇÂO

Intitulada AGENDA 51% lomografia 2009, ilustrada em 51% pelo vasto arquivo Lomográfico e em 49 % pelos trabalhos de 6 fotógrafos convidados ( Trabalhos pessoais com todo o tipo de máquinas excepto Lomo ) será acompanhada com 4 exposições / festas nas cidades de Lisboa, Porto, Macau e Berlim.

Os convidados / fotógrafos para 2009 estão a ser selecionados.

Na agenda de 2006 convidámos Paulo Pimenta , Luis Barra , Daniel Pires , Jose Tomaz , Sonia Galiza , Miguel saa

Na agenda de 2007 convidámos Margarida Gouveia , Virgílio Ferreira, Leonel Castro , Pauliana Valente Pimentel , Pedro Janeiro , Luís Carvalhal

Na agenda de 2008 convidámos Jordi Brush , Rui Xavier , Inês d'orey , Nelson Kohn , Miguel Meira , Manuel Duarte

Ver ( microsite 51 % ) www.lomografiaportugal.com/html/projectos.htm

As exposições incluem 36 fotografias dos fotógrafos (Formato 50 x 75 cm ) e as fotografias dos lomógrafos em mural
( 30 m x 3 m ) ( Resultante do concurso Lomo Férias 08 )

PRÉMIOS

1º PRÉMIO - Horizon Camera + Viagem Barcelona + Viagem Catamaran + Agenda 51%
2º PRÉMIO - LC-A+ + Viagem Catamaran + Agenda 51%
3º PRÉMIO - Diana F+ + Fisheye Submarine Combo + Agenda 51%
4º PRÉMIO - Color Splash Chakra Limited Edition + Agenda 51%


CCB | 26 Out. | a partir das 14h30 | entrada livre > JOSÉ CARDOSO PIRES, DE MÃO PENSADA


JOSÉ CARDOSO PIRES, DE MÃO PENSADA
(NOS 10 ANOS DA SUA MORTE)

DOMINGO, 26 OUTUBRO, A PARTIR DAS 14H30
CENTRO CULTURAL DE BELÉM
ENTRADA LIVRE

Comissário: João Paulo Cotrim


Nenhum texto de José Cardoso Pires (Peso, Castelo Branco, 2 de Outubro de 1925 – Lisboa, 26 de Outubro de 1998), romance ou crónica, conto ou ensaio é um texto qualquer. A escrita depurada e o poder de observação abrem para profundíssimas reflexões em torno do ser português, do viver Lisboa, da experiência literária, enfim, da humaníssima condição. Provou as matemáticas, mas trocou-as pela marinha. Ensaiou o exílio e a emigração, mas regressou sempre a Lisboa. O seu percurso fica marcado por uma relação permanente com o jornalismo, tendo mesmo dirigido a revista Almanaque, na década de 1950, o célebre suplemento & etc., do Jornal do Fundão, ou outro não menos importante, A Mosca, do Diário de Lisboa. Vários foram os seus romances marcantes (O Delfim, 1968; Balada da Praia dos Cães, 1982; Alexandra Alpha, 1987), mas a sua obra inclui ainda contos (A República dos Corvos, 1988), ensaios (Cartilha do Marialva, 1960), crónicas (A Cavalo no Diabo, 1994), sátira (Dinossauro Excelentíssimo, com ilustrações de João Abel Manta) ou essa singular «viagem à desmemória» que é De Profundis, Valsa Lenta (1997) e um hino de amor à capital, Lisboa Livro de Bordo (1997), o qual mostra ainda outros amores: a música, a pintura, o cinema. José Fonseca e Costa passou a filme Balada da Praia dos Cães e Fernando Lopes O Delfim.

26 DE OUTUBRO NO CCB:

Leituras:
Das 14h30 às 16h15 - Sala Almada Negreiros – entrada livre até máximo da sua lotação
14h30: António Mega Ferreira
14h45: Inês Pedrosa
15h15: José Eduardo Agualusa
15h45: Mário de Carvalho
16h15: Lídia Jorge

Conferência:

17h15- Sala Almada Negreiros – entrada livre até máximo da sua lotação
João Lobo Antunes – “Memória e auto-ficção”

Filme:

18h30 - Sala Almada Negreiros – entrada livre até máximo da sua lotação
“ O Delfim”

Realização Fernando Lopes baseado na obra de José Cardoso Pires, 2002
83’

(Argumento de Vasco Pulido Valente, com Rogério Samora e Alexandra Lencastre)

Exposição:

Ilustrações de João Abel Manta para O Dinossauro Excelentíssimo, (1972)
Foyer da Sala Almada Negreiros

Entrada Livre

CCB | Ensemble Associado da Temporada | SCHOSTAKOVICH-ENSEMBLE | SCHUMMAN+BRAHMS | 17OUT



Primeiro Concerto
Como Ensemble Associado da Temporada de 2008/2009

Schostakovich-Ensemble
Schumman-Brahms: Díptico Romântico

Sexta-Feira : 17 Outubro : 21H
Palco do Grande Auditório


No primeiro concerto como Ensemble Associado do CCB, o Schostakovich Ensemble apresenta um programa composto por peças de dois génios do romantismo alemão, Schumann e Brahms.

Naquele que é o seu primeiro concerto enquanto ensemble associado do CCB, o Schostakovich-Ensemble – para esta ocasião formado pelo pianista Filipe Pinto-Ribeiro, pelo violinista francês Philippe Graffin, pela violetista Natalia Tchitch e pelo violoncelista Pavel Gomziakov – apresenta um programa com duas obras-primas de dois titãs do romantismo musical: os alemães Robert Schumann e Johannes Brahms. Além dos traços estilísticos que os aproximam, o apaixonado Trio com piano n.º 1 de Schumann e o transcendente Quarteto com piano n.º 2 de Brahms permitem diferenciar a individualidade criativa destes dois geniais compositores do século XIX.

Programa

Robert Schumann (1810-1856)
Trio com piano n.º 1 em Ré menor, op. 63

I. Mit energie und Leidenschaft
II. Lebhaft, doch nicht zu rasch
III. Langsam, mit inniger Empfindung
IV. Mit Feuer

Johannes Brahms (1833-1897)
Quarteto com piano n.º 2 em Lá maior, op. 26

I. Allegro non troppo
II. Poco Adagio
III. Scherzo: Poco Allegro
IV. Finale: Allegro


Preços:

20€
Descontos habituais

Concertos do Ensemble Associado:

17 Outubro 2008 > Palco Grande Auditório > Schumman-Brahms: Díptico Romântico
10 Dezembro 2008 > Palco Grande Auditório > Messiaen: Quarteto para o Fim do Tempo
24 Fevereiro 2009 > Grande Auditório > Carta Branca com José van Dam (barítono)
24, 25 e 26 Abril 2009 > Grande Auditório > Dias da Música em Belém: A Herança de Bach
6 Junho > Pequeno Auditório > Haydn-Mendelssohn: entre dois mundos

Schostakovich-Ensemble

Filipe Pinto-Ribeiro - piano
Philippe Graffin - violino
Natalia Tchitch – viola
Pavel Gomziakov - violoncelo

O Schostakovich-Ensemble é um agrupamento musical que se distingue pela excelência do seu trabalho e o prazer da música de câmara. Foi criado em 2006, pelo pianista e também director artístico Filipe Pinto-Ribeiro, ano em que se comemorou o centenário de nascimento do compositor russo Dmitri Schostakovich. Dos muitos concertos em que já participou, merece particular atenção as apresentações em várias cidades europeias, como Lisboa, Estocolmo, Tallinn e Moscovo, onde o Ensemble alcançou excelente receptividade da crítica e do público presente.

Apresenta-se em diversas formações, privilegiando o Trio com Piano, o Quarteto com Piano, o Quarteto de Cordas e o Quinteto com Piano. Conta ainda com a participação de magníficos músicos, como os violinistas Tatiana Samouil, Philippe Graffin e Priya Mitchell, os violetistas Natalia Tchitch e Tony Nys, os violoncelistas Pavel Gomziakov, Justus Grimm e Christian Poltéra, o contrabaixista Tiago Pinto-Ribeiro, o clarinetista Pascal Moraguès, os pianistas Rosa Maria Barrantes e Filipe Pinto-Ribeiro, e os cantores Anna Samuil e Yuri Kissin, entre muitos outros.

VELHA GUARDA DA POP | 11 OUT | SANTIAGO ALQUIMISTA



PROJECTO MARGINAL
APRESENTA

VELHA GUARDA DA POP

DJs
FREESTYLEIRA
WWW.MYSPACE.COM/FREESTYLEIRA
J "THE DJ" K
WWW.MYSPACE.COM/JTHEVIDEOK

VISUALS
JOHN HOLMES
SINDICATO.BIZ/JOHNHOLMES
MARTA MACHADO

ENTRADA:
5 €
4 € (C/DRESS CODE)*

11 DE OUTUBRO, 23H
SANTIAGO ALQUIMISTA

*DRESS CODE INSPIRADO EM MICHAEL JACKSON, MADONNA OU PRINCE


terça-feira, 30 de setembro de 2008

Maria Keil

Esta senhora bonita é a nossa amiga Maria Keil, artista plástica.
Em 1941, via-se a si própria desta maneira.
Maria Keil (gosta que a tratem apenas por Maria) nasceu na cidade de Silves, em 1914. Partilhou a maior parte da sua vida com o arquitecto Francisco Keil do Amaral, com quem se casou, muito jovem, em 1933.

De lá para cá fez milhares de coisas, sobretudo ilustrações, que se podem encontrar em revistas como a “Seara Nova”, livros para adultos e “toneladas” de livros infantis, os de Matilde Rosa Araújo, por exemplo, são em grande quantidade. Está quase a chegar aos 100 anos de idade de uma vida cheia, que nos primeiros tempos teve alguns “sobressaltos”, umas proibições de quadros aqui, uma prisão pela PIDE, ali... as coisas normais para um certo “tipo de pessoas” no tempo do fascismo.

Para esta “história”, no entanto, o que me interessa são os seus azulejos. São aos milhares, em painéis monumentais, espalhados por variadíssimos locais. Uma das maiores contribuições de Maria Keil para a azulejaria lisboeta, foi exactamente para o Metropolitano de Lisboa. Para fugir ao figurativo, que não era o desejado pelos arquitectos do Metro, a Maria Keil partiu para o apuramento das formas geométricas que conseguiram, pelo uso da cor e génio da artista, quebrar a monotonia cinzenta das galerias de cimento armado das primeiras 19, sim, dezanove estações de Metropolitano. Como o marido estava ligado aos trabalhos de arquitectura das estações e conhecendo a fatal “falta de verba” que se fazia sentir, o Metro lá teve de pagar os azulejos, em grande parte fabricados na famosa fábrica de cerâmica “Viúva Lamego”, mas o trabalho insano da criação e pintura dos painéis... ficou de borla. Exactamente! Maria Keil decidiu oferecer o seu enorme trabalho à cidade de Lisboa e ao seu “jovem” Metropolitano.
Estes pormenores das estações do “Intendente” (1966) e “Restauradores” (1959), são bons exemplos.

Parêntesis: Qualquer alteração na “Gare do Oriente” do Arq. Calatrava, ou nas Torres das Amoreiras, do Arq. Tomás Taveira, só a título de exemplo, têm de ser encomendadas ao arquitecto que as fez e mesmo assim, ele pode recusar-se a alterar a sua obra original. Se os donos da obra avançarem para a alteração sem o acordo do autor, podem ter por garantido um belo processo em tribunal, que acabará numa “salgada” indemnização ao autor.

Finalmente, a história! Recentemente a Metro de Lisboa decidiu remodelar, modernizar, ampliar, etc, várias das estações mais antigas e não foram de modas. Avançaram para as paredes e sem dizer água vai, picaram-nas sem se dar ao trabalho de (antes) retirar os painéis de azulejos, ou ao incómodo de dar uma palavra que fosse à autora dos ditos. Mais tarde, depois da obra irremediavelmente destruída, alguém se encarregaria de apresentar umas desculpas esfarrapadas e “compreender” a tristeza da artista.

A parte “realmente boa” desta (já longa) história é que ao contrário de quase todos os arquitectos, engenheiros, escultores, pintores e quem quer que seja que veja uma sua obra pública alterada ou destruída sem o seu consentimento, Maria Keil não tem direito a qualquer indemnização.

Perguntam vocês “porquê, Samuel?” e eu tão aparvalhado como vós, “Porque na Metro de Lisboa há juristas muito bons, que descobriram não ser obrigatório pedir nada, nem indemnizar a autora, de forma nenhuma... exactamente porque ela não cobrou um tostão que fosse pela sua obra!!!

Este país, por vezes consegue ser “ainda mais extraordinário” do que é o seu costume! Ou não?